BLOGOL! Futebol e Outras Histórias


MELHOR DO MUNDO (SERÁ?)

O zagueiro italiano Fabio Cannavaro, do Real, ganhou hoje a Bola de Ouro de melhor jogador do futebol europeu, prêmio entregue pela revista France Footbal desde 1956. 

É o primeiro defensor a ganhar o troféu desde 1996, quando o alemão Mathias Sammer foi o escolhido. O goleiro Gianluigi Buffon, da Juventus, e o atacante Thierry Henry, do Arsenal, ficaram em segundo e terceiro.

No páreo também estavam Ronaldinho e Kaká. Pelo que vem jogando, Kaká levaria o troféu na minha modesta opinião.



 Escrito por silvinho às 14h16 [] [envie esta mensagem] []






CAI, CAI...

Fortaleza, São Caetano (quem te viu, quem te vê), Santa Cruz e Ponte Preta vão disputar a segundona.

Aliás, o futebol de Campinas, berço de tantos craques como o meu primeiro ídolo Careca, acordou de ressaca: não bastasse o fiasco da Ponte, o Guarani jogará a Série C, com o bicampeão brasileiro Bahia.

A nota boa é a volta trinfual do Atlético-MG, com mais de 70 mil no Mineirão. Tava fazendo falta!

E graças a competência do também verde Goiás, o Palmeiras se livrou...

 

Para a última rodada, o que resta é a briga entre Vasco e Goiás pela última vaga na Libertadores do ano que vem. Embora ache que esse time do Vasco tem valores (Andrade e Morais, por exemplo), vou torcer para o Paraná porque Renato Gaúcho cada vez mais faz questão de integrar a lista dos insuportáveis do futebol. Aliás, ele e Luxemburgo (sempre).



 Escrito por silvinho às 14h05 [] [envie esta mensagem] []






NASHVILLE

ROBERT ALTMAN morreu aos 81 anos, na segunda-feira

 Matérias, obituários etc ficam por conta da imprensa. Aqui fica um pouco da tristeza, e um obrigado por alguns grandes filmes.

Nashville é o superior. Preciso revê-lo. Short-Cuts Cenas da Vida tem uma trilha sonora maravilhosa, quando Altmam trouxe de volta Annie Ross, então esquecida. Dei meu CD para uma amiga e nunca mais consegui comprar outro. Também nunca achei o DVD. Quem sabe, agora....

Descanse em paz, mestre Altman.



 Escrito por Rafa às 09h23 [] [envie esta mensagem] []






REAL MADRID 2 x 2 LYON

FINAL

Injusto. Mesmo com o Lyon segurando mais o jogo, o Real não fez muita coisa. Fez o segundo com Nistelrooy, e assim como o primeiro gol, também através de bola parada; e quase ganha, se o holandês não tivesse perdido um penal, no final do jogo, bem arranjadinho pelo gaiato que apitou a partida.

Seja como for, o Lyon está entalado na garganta do Real. No ano passado foi a mesma coisa. Perdeu na França e empatou em casa. Não ganhou os últimos quatro jogos.

Estranho esse Carew. Com mais de 1,90m botou Canavarro & Cia na roda. Sempre me surpreendo quando vejo um pirulão que sabe jogar bola.

Mas a foto da rodada, vai para o Nakamura. O Celtic ganhou do Manchester United, de  1 X 0, com um gol dele ao 36 do segundo tempo. E eu nunca imaginei um japonês correndo atrás de uma bola na sagrada terra do scotch.

Nakamura, Celtic 1 x 0 Manchester United

A coisa está começando a ficar boa por lá. Amanhã, 17:30h tem Barça. Precisa ganhar de qualquer jeito, senão dança.

P.S. não sei se vale em blog, mas...vi o gol do Nakamura, depois de publicado o BLOGOL!. Batendo falta, com a perna esquerda...valeu japa.



 Escrito por Rafa às 19h01 [] [envie esta mensagem] []






REAL MADRID 1 X 2 LYON

1º TEMPO

Pode acontecer qualquer coisa no segundo tempo, afinal o jogo é em Madrid. Mas que o Lyon deu um banho no Real, até agora, deu. Mesmo sem o Fred, o Lyon joga com muita facilidade. Um volante na frente da defesa e uma linha de quatro na frente do volante. Juninho Pernambucano, é o dono do time.

Carew, depois do 1º gol do Lyon

Em compensação a defesa do Real, com o cotado 'Bola de Ouro' Canavarro é uma brincadeira. Emerson, perdidão como na Copa. Robinho, Reyes e Raul, batem na defesa francesa e voltam. Sobra o Nistelrooy sozinho, lá na frente. 

Vamos ver o que dá. O jogo tá bom!



 Escrito por Rafa às 17h48 [] [envie esta mensagem] []






RAIO-X

Nome: São Paulo Futebol Clube
Fundação: 16 de dezembro de 1935
Endereço: Praça Roberto Gomes Pedrosa, 1, São Paulo (SP). CEP: 05653-070
Estádio: Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi)
Site Oficial: http://www.saopaulofc.net
Títulos: 3 Mundiais Interclubes (92, 93 e 2005); 3 Copas Libertadores da América (92, 93 e 2005); 2 Recopas Sul-Americanas (93 e 94); 1 Supercopa da Libertadores (93); 1 Copa Conmebol (94); 4 Campeonatos Brasileiros (77, 86, 91 e 2006); 1 Torneio Rio-São Paulo (2001); 20 Campeonatos Paulistas (43, 45, 46, 48, 49, 53, 57, 70, 71, 75, 80, 81, 85, 87, 89, 91, 92, 98, 2000 e 2005)


 Escrito por silvinho às 17h47 [] [envie esta mensagem] []






A CARA DO TETRA

Dizem que uma imagem vale mais que mil palavras.

Estas valem 4 vezes mais.

O dono do time!

O time!



 Escrito por silvinho às 13h44 [] [envie esta mensagem] []






Para terminar minha homenagem ao campeão brasileiro, quero compartilhar a glória do hino que vocês merecem e vão cantar, por muitos dias. Tio Gudinho, que deve ter feito somente essa música em toda sua vida - afinal a musicalidade nunca foi o forte da familia-  menino, e minha avó Carmen, numa foto de 1909, 1910, bem antes de um dia ter bolado o

.......SALVE O TRICOLOR PAULISTA, AMADO CLUBE BRASILEIRO.....

(letra e música de Porfírio da Paz)             

 

A música mais cantada, mais chorada hoje....como eu disse no começo da conversa:

 

.....DONA CARMEN E O TIO PORFÍRIO DEVEM ESTAR RINDO À TOA.......

 

Porfírio da Paz, é o primeiro menino olhando-se pela direita. Vô Carmen é a menininha ao seu lado.

 

...e espero ter tido o ‘fair-play’ mínimo, de passar dignamente o título de Campeão Brasileiro...afinal, no futebol, como na vida, nada é permanente...



 Escrito por Rafa às 17h27 [] [envie esta mensagem] []






SALVE O TRICOLOR PAULISTA

CAMPEÃO BRASILEIRO DE 2006

 

Antes de terminar, vale uma outra história de moleque (obviamente porque são as melhores, onde a imaginação ganha de 10 X 0 da maldita objetividade).  É a tal fuga do Santos, contra o São Paulo em 63. Eu asssiti àquele jogo pela televisão. Não entendi nada. Não entendo aquele jogo (provavelmente o único em minha vida) até hoje.

 O São Paulo ganhou de 4 x 1,  mas o Santos ‘puxou o carro aos 11 do segundo tempo’. Armando Marques expulsou Pelé e Coutinho, e  quando o São Paulo começou a fazer gols, cairam mais 3 dos Santos e a partida não pode seguir.

Pagão, ex-companheiro do Negão no Santos ( e ídolo do Chico Buarque), estava no São Paulo. Há uma certa crueldade nisto, não? Até quanto você pode ensacar um adversário? Eu não faço a mínima idéia.

Sempre guardei uma imagem daquele jogo: ‘Dias fazendo um gol,e se agarrando na redes ou no travessão’. Um triste dia fui consultar um desses almanaques com todas as partidas do São Paulo, e...não estava lá: Dias não havia marcado. Bem, pode ser que ele não tenha marcado e apenas comemorado do jeito que imaginei.

Gozado! Quando vejo o São Paulo tão campeão, tão  estruturado, me  lembro da última vez que vi Roberto Dias. Foi numa sorveteria. Eu queria perguntar para ele daqueles 4 X 1, mas sou cheio de embaraços. Dias foi um dos poucos craques do São Paulo nos anos 60. Pagou caro por issso, por não ter o reconhecimento que um craque deve ter. Fino, altivo, daqueles que batem na bola com uma intimidade que eu desconheço. Carregou o São Paulo nos anos 60, sacrificando uma transferência e até mesmo um maior  reconhecimento pela Seleção.

E a magia?

A magia é mais simples: em 71, levei meu primo que veio me visitar para conhecer o Morumbi. É bahiano, meu primo. Demos sorte e o timaço do São Paulo da época estava treinando. Daí no meio daquela brincadeira toda, um zagueirão qualquer deu um bicão para cima. Mestre Gerson, que não corria, e ficava enrolando alí no meio do campo. Olhou para cima e viu aquela bola caindo. E olha que a bola subiu, subiu... Gerson, sozinho, sem platéia (ele não nos viu, eu creio) pôs seu (bendito) pé esquerdo ligeiramente para  a frente. De repente, aquela bola que descia, parou no pé dele. Ela simplesmente parou. Ele pôs o pé e a bola parou. Como?  Como se faz isso?



 Escrito por Rafa às 17h24 [] [envie esta mensagem] []






O GOL DO LOURIVAL CONTRA O CORINTHIANS EM 67 (QUE EU NÃO CONSEGUIA PUBLICAR...leia abaixo)

Lourival faz 1 x 0 contra o Corinthians, pelo Paulista de 1967

 Escrito por Rafa às 11h48 [] [envie esta mensagem] []






SALVE O TROCOLOR PAULISTA

Nossa Senhora Aparecida

 

Mas Tio Gudinho, tinha outra ‘marca’ forte: ele vivia com uma imagem de Nossa Senhora Aparecida, debaixo do braço. Conhecendo o catolicismo de minha família, não é difícil entender isto, mas, tio Gudinho, era político e aquela história de viver com Nossa Senhora par abaixo e para cima, algumas vezes me parece ‘markentig-pré-marketing’.  Acho que isso acabou fazendo dele uma figura meio folclórica. Independente disto ser verdade, ou não, sua paixão pelo São Paulo era verdadeira.

Palestrinos da velha-guarda dão risadas quando se fala da rivalidade Corinthians X Palmeiras, de hoje. O que os palestrinos não podem ver, é um são-paulino pela frente. E o tio Gudinho é em parte responsável por isso.

Vocês todos se lembram que o Palmeiras antes foi Palestra. Não só foi Palestra, como foi Palestra Itália. O Palestra Itália era (e ainda é) o legítimo dono do Parque Antártica. Naqueles tempos, o campo do São Paulo era no Canindé (não sei se era o Canindé da Lusa).  A idéia da direção do São Paulo era ‘tomar’ o Parque Antártica do Palestra, sem pagar nada, assim..numa boa. Com a Segunda Guerra, a ditadura de Getúlio, os palestrinos tiveram que mudar de nome. Tiraram Itália, virou Palestra de São Paulo (e tomou de 4 x 1 do Corinthians na estréia). Os interventores de Getúlio, e tio Gudinho e Cia, não se contentaram. Eles queriam o Parque Antártica  afinal. E o Palestra precisou ceder e retirou o Palestra também (estrearam na final do campeonato de 42, como Palmeiras, ganhando de 3x1 em cima do São Paulo na final, coma famosa foto do Palmeiras entrtando no Pacembú, com a bandeira do Brasil) e o São Paulo precisou esperar quase 20 anos para ter seu estádio.

Em 43 há a história da moeda, história que todo são-paulino adora.  (Para os mais jovens): até então era Corinthinas ou Palestra, cara ou coroa. Em 43 deu São Paulo: a moeda caiu de pé, riram os tricolores. E de fato, o São Paulo foi o grande time paulista da década de 40. Não sei daquele time, embora saiba de cor sua escalação, mas suspeito que aquele foi o maior São Paulo de todos os tempos.

Mas minha história é outra. 1967. Eu no auge dos meus 12 anos, fechava as notas no ginásio e ia para Curitiba com minha vó Carmen,a irmã do tio Gudinho e muito mais são-paulina do que ele. Se vocês se acham são-paulinos, eu riria. Mulher, mãe de 16 filhos, dignidade e o sorriso mais doce que conheci em minha vida. Lia jornais, gostava de política, assístíamos programas esportivos juntos- quando ela ficava em casa, depois de viúva. Mas fim de ano era Curitiba, casa de uma tia. E não é que o São Paulo poderia ser campeão em 67, depois de 10 anos. Não havia televisão direto, é claro. Ligamos o rádio, e o São Paulo precisa ganhar (o Corinthians estava fora, quem estava na parada era o Santos de Pelé & Cia). No segundo tempo o tricolor fez  1 x 0, Lourival

(Tenho no computador a imagem do gol de Lourival, fazendo 1 x 0, mas o BLOGOL! não aceita a publicação...até agora).

 Os olhos de minha avó, se desmanchavam de felicidade, até que no último minuto do jogo o Corinthians empatou. Benê. Um gol feio, daqueles em que a bola bate em alguém e entra. Minhas avó me olhou, com se eu tivesse feito aquele gol, e me perguntou: 'por quê?' Eu não sabia responder, não sei até hoje. Talvez seja o único gol de meu time que eu jamais desejei. Nunca consegui responder àquela pergunta de minha avó: 'por quê ele precisava fazer isso?'  Quase  40 anos depois, quando lembro desta história, eu digo para mim mesmo (porque não tenho mais como dizer à minha avó): ‘ele não precisava fazer isto, não, vó! Futebol não é justo, assim como a vida não é! Você me desculpa por esse gol?’

Quatro dias depois o São Paulo foi obrigado a disputar uma partida extra com o Santos e perdeu o título.

Nunca me perdoarei por aquele gol.



 Escrito por Rafa às 11h10 [] [envie esta mensagem] []






ADEUS, PUSKAS

Sexta-feira, 17 de novembro, o BLOGOL! presta sua homenagem a Ferenc Puskas, maior ídolo do futebol húngaro, morto nesta madrugada, aos 79 anos, em conseqüência do mal de Alzheimer.

Puskas jogou no Real Madrid entre 1958 e 1966, quando ganhou duas Taças da Europa. Jogou 84 partidas e marcou 83 gols pela seleção húngara e recebeu da Uefa, em janeiro de 2006, a condecoração "Campeões da Europa".

Diz a lenda que o húngaro começou a jogar futebol quando era gandula em Budapeste. Aos 10 anos, jogava neste clube, onde estreou como proficcional com apenas de 16 anos.

A invasão soviética da Hungria em 1956 levou-o ao exílio, o que aconteceu também com outros muitos companheiros de sua equipe, deixando para trás um histórico de 349 partidas no Campeonato nacional, com 358 gols.

Até sua aposentadoria, em junho de 1967, Puskas jogou no Real Madrid 180 jogos do Campeonato Espanhol, nos quais marcou 154 vezes.

As informações são da agência espanhola EFE e do UOL.



 Escrito por silvinho às 10h30 [] [envie esta mensagem] []






SALVE O TRICOLOR PAULISTA

Tio Gudinho (vice-paulista), Jânio Quadros(governador de SP) e Café Filho (presidente-tampão)- (1954)

 

DONA CARMEN E TIO PORFÍRIO DEVEM ESTAR RINDO À TOA....

 

Pois é, o Corinthians, campeão brasileiro de 2005, deixa o título, sem luta, sem raça e sem glória. O São Paulo, legítimo campeão brasileiro de 2006, não tem nada há ver com isso. Sua festa, como foi seu futebol durante todo o ano, é legítima e merece a reverência de todos aqueles que gostam mesmo de futebol.

Mas a festa não é minha, a festa é dos são-paulinos..mesmo assim, me sinto no direito de fazer minha festinha particular. Uma festa familiar.

Cresci tendo de um lado da familia, são-paulinos autênticos. Talvez por isso conheça um lado da história do São Paulo, diferente da história oficial. Toda história oficial, perde de foco o lado mais humano (quando não descamba para a invencionice pura).

O São Paulo nasceu pobre. Tão pobre que nasceu em 1930, morreu e foi renascer em 1935. Conheci muito de perto um abnegado que fez essa história. Ele era irmão de minha avó, um mineiro de Araxá, que como todo são-paulino de então, queria se distanciar da colonia italiana-palestrina e daquele outro time de branco e preto, cuja tradição não se reinvidicava somente da terra paulistana. A história do São Paulo, está ligada à revolta de 1932 (que só em São Paulo se chama de Revolução de 32),  à nova elite que reinventou uma história de bandeirantes, desbravadores e à frente do Brasil. Como toda história, essa é uma construção ficcional. Da mesma forma que uma nova elite financeira, que criou o Bradesco, estava na mesma ordem. Foi assim que nasceu o Morumbi, nos tempos em que Laudo Natel, (mais tarde, governador nomeado pella ditadura) era o presidente do Bradesco e o presidente do São Paulo.

Mas antes do Morumbi, e antes de Laudo Natel houve gente como o ‘General’ Porfírio da Paz, o irmão da minha doce avó Carmen. Quando ele não era o General, ele era o tio Gudinho. Alguma criança não conseguiu falar Gordinho, e acabou tio Gudinho. Nunca foi general de verdade, porque era da Força Pública. General é patente do Exército. Força Pública, era quem tomava conta de nós antes da ditadura militar militarizá-la e transformá-la nesta PM, que mete mais medo do que bandido.

Tio Gudinho, levou a bola e organizou o primeiro treino do São-Paulo em 1935.  Usei sua cadeira cativa para ver o Corinthians campeão em 1977. Nunca convivemos, mas de um jeito ou de outro, ou melhor, de um jeito que eu não sei, tenho em minha memória um time do São Paulo, campeão da década de 40. Era como uma canção, e eu menino recitava: Gijo, Piolin e Virgilio; Bauer, Rui e Noronha; Luisinho, Sastre, Leônidas, Remo e Teixeirinha. Era uma ladainha, uma canção..e eu não sei até hoje se alguma vez esse time jogou junto. Bauer eu tive o prazer de cumprimentar, quando ele ia votar , nos anos 70, nas secção eleitoral em que fui mesário durante muitos anos. Elegante, fininho, como todo craque deve ser.

Outra lenda na familia,era que tio Gudinho fora ‘preso’ (passara alguns dias recluso no quartel) depois que os jornais estamparam a foto da chegada de Leônidas em 1942, onde ele apareceria levando o craque nos ombros. Mesmo não sendo um ‘general’ ainda, não seria de ‘bom tom’ um oficial da FP aparecer assim. Estranho é que tenho uma foto da chegada de Leônidas sendo carregado nos ombros, vejo um bando de quepes, mas não acho a cara do tio Gudinho.

Tio Gudinho também era ‘recriminado’ na familia por se desfazer de um imóvel, para pagar dívidas do time. Essa eu sei que é verdadeira, está no site do São Pauloe na raiva de alguns tios vivos.

Que mais um são-paulino faria? Fundaria a primeira torcida organizada do Brasil. Pois é, foi do São Paulo, sim senhores, embora a intenção fosse apenas animar a turma (nada de assombrar,  aterrorizar e matar como as gangues-organizadas de hoje).

Mas há um pouco mais de história e eu continuo mais tarde....a festa está apenas começando.



 Escrito por Rafa às 01h13 [] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 


BRASIL, Homem, por Rafa, Silvio e colaboradores





 
 




UOL Esporte
Lance!
Site da Fifa
Site da Conmebol
Site da Uefa
Site do São Paulo
Site do Corinthians
Site do Palmeiras
Site do Flamengo
Site do Santos
Site do Vasco
Site do Botafogo
Site do Fluminense
Site do Goiás
Site do Atlético-MG
Site do Internacional
Site do Grêmio
Site do Cruzeiro
Site do Náutico
Site do Sport
Site do Paraná
Site do América-MG
Site do Atlético-PR
Site do Figueirense
Site do Juventude
NBA
F-1
MR Anúncios
Blog do Juca
Blog do Torero
Blog do Birner
falleninterlude
Raptors.com
Jornalismo Esporte Clube
 
 

Dê uma nota para meu blog